Colabore com reportagens exclusivas, sendo um Sócio-Patrocinador do site O MANGUE. Escolha sua opção de Assinatura On-Line, ou, se preferir, deposite qualquer valor em nome de Bruno de Almeida Silva, Agência 0183, Conta 121454-1, Caixa Econômica Federal. O Jornalismo Local e Independente agradece!

AGENDA 21 E PREFEITURA TÊM PACTO PARA ESGOTAMENTO SANITÁRIO ALTERNATIVO EM MAGÉ

No dia 13 de maio, o Fórum da Agenda 21 de Magé teve sua primeira reunião após a assinatura do Pacto para Esgotamento Sanitário, firmado com a Prefeitura durante o seminário “Esgoto Tratado é Água Limpa e Saúde – Tecnologias Alternativas de Tratamento para Magé” (que ocorreu no dia 14 de abril, na Unigranrio). O Grupo de Trabalho, formado por representantes dos quatro setores, tem até novembro para, em um novo seminário, entregar os resultados de um estudo complementar e de seis projetos-pilotos existentes para o saneamento alternativo no município.

IMG_0574
Representantes da Sociedade Civil lamentaram: a ausência das Secretarias de Educação e Saúde (que assinaram o Pacto), o não encaminhamento prévio da pauta da reunião, a não-elaboração de um Regimento Interno específico para as ações, a aparente centralização do governo nas decisões sobre os planos-piloto, e a não-publicação do Pacto no BIO

Os lugares a serem beneficiados foram definidos por terem sido excluídos do Plano de Saneamento Ambiental Municipal (PSAM) aprovado no ano passado; e devem servir como modelo para expansão caso o projeto dê certo. São eles: Associação de Agricultores de Cachoeira Grande, Cooperativa dos Catadores de Bongaba, Comunidade de Parque Veneza, Centro de Pesquisa e Treinamento Agroecológico no sexto distrito (Cepta), Posto de Saúde da Família e Creche Municipal em Praia do Anil, e Colégio Municipal Barão de Iriri.

11245217_631055933695542_163102032_n
FOTO: DANILO FERNANDES. O esgoto lançado in natura na praia do Anil: secretaria de Meio Ambiente pretende reativar Estação de Tratamento, apesar da possibilidade imediata de um sistema alternativo. A situação é crítica também em uma escola em Barão de Iriri, que joga esgoto dentro do mangue, e no Parque Veneza, que recebe o chorume do lixão de Bongaba

Trata Brasil e Emater

O Pacto prevê a implantação de pelo menos três tecnologias alternativas, a serem empregadas de acordo com as necessidades de cada local: Tratamento Biológico de Efluentes, Zoneamento de Raízes, e BET (Bacia de Evapotranspiração).

É também objetivo “ampliar informação, sensibilizar e engajar a sociedade para a relação esgotamento sanitário/saúde”, etapa que ficaria por conta do Instituto Trata Brasil, especialista em saneamento. Essa possibilidade, no entanto, foi deixada no ar por Priscila Grimberg, representante do Instituto Lógica, Filosofia e Teoria da Ciência (ILTC), contratado pela Petrobras para prestar consultoria aos Fóruns da Agenda 21 na região do Conleste:

— O Trata Brasil quer participar, está fazendo uma proposta para captar recursos para incluí-los. Depende do governo ou das empresas parceiras que possam apoiar (…). Mas as tecnologias alternativas são simples, baratas, não estamos falando de nada que custe mais do que quatro ou cinco mil reais pra atender a 30 pessoas. E aqui nós temos uma tecnologia em casa, que é a Emater, que é líder disso — explica a consultora.

IMG_0570
O secretário de Agricultura Sustentável Aloizio Sturm (camisa vermelha) responde por sua pasta, pelo Cepta e pela Associação de Agricultores. O professor Luis Carneiro questiona: “secretarias deveriam indicar nomes”

Engenheiros Sem Fronteiras já têm data para começar

Quem não vê problemas em arregaçar as mangas para ajudar é a associação sem fins lucrativos Engenheiros Sem Fronteiras, cujo Núcleo Rio de Janeiro esteve representado por três voluntários, que aliás já atuam em Magé, construindo uma casa sustentável em Nova Marília para uma família de três cadeirantes que vivem com esgoto a céu aberto em seu quintal.

— Viemos prestar nosso total apoio nesses projetos-piloto, na parte técnica e braçal, na organização e coordenação junto aos coordenadores. A gente quer fazer parte desse acontecimento, dessa mudança de paradigmas pra sustentabilidade dos municípios. Já tivemos planos de despoluição da Baía da Guanabara, ninguém conseguiu atingir meta nenhuma, e eu acho que a raiz do problema está nas cidades ao entorno e exatamente onde atinge os moradores — diz o engenheiro mecânico João Henrique Azevedo.

A proposta de auxílio do grupo, que conta hoje no estado com 63 voluntários, foi tão positiva, que uma data já ficou acertada para visita dos projetos-piloto junto com a Agenda 21: a próxima quarta-feira, dia 20.

20150513_204712
Na primeira foto, a mesa formada pela diretora da secretaria de Meio Ambiente, Cida Resende, a consultora Priscila Grimberg, e a coordenadora do Fórum da Agenda 21, Dulce Araújo. Aqui, os Engenheiros Sem Fronteiras João Azevedo, Maglane Andrade, e Ane Peixoto: Ong já atua em Magé

DEIXE UMA RESPOSTA